5 Dicas para fazer seu dia de aula ser mais produtivo

É normal vivenciar alguns dias de desanimo e improdutividade nos estudos. O problema é quando isso se torna contínuo ou atrapalha seu rendimento escolar. Siga alguns passos básicos que separamos para você dar a volta por cima e aproveitarseu precioso tempo nas aulas.

  1. Encontre motivação: O período de volta as aulas costuma ser o auge da empolgação, você está descansado, com saudades dos colegas e tem a chance de começar tudo novamente. Com o passar das semanas, essa empolgação começa a diminuir, por isso é necessário reavivar esse sentimento e se motivar todos os dias a prosseguir com seus estudos. É normal se sentir cansado, então tenha sempre alguns objetivos em mente e busque motivação para continuar. Converse com alguém, procure um filme para se inspirar ou pense que suas atitudes agora darão bons resultados no seu futuro. Tente ao máximo não perder o foco e continue a estudar!
  2. Seja organizado: É péssimo chegar na escola e perceber que seu material escolar ficou perdido em casa. Por isso, mantenha seu material e sua agenda sempre organizados.  Saiba quais são as aulas e leve os livros e cadernos certos, isso facilitará muito seus estudos depois, pois quando você faz anotações nos lugares errados, raramente se lembrará dela depois. Organização é sempre importante no processo de aprendizagem.
  3. Use o tempo da aula: Podemos concordar que é fácil se distrair numa aula que não gostamos. Porém, conversar ou fazer outras atividades nesse tempo não ajudará em nada. Geralmente o professor sempre dá algumas dicas essenciais para trabalhos e provas. Outra coisa, é melhor aprender durante o tempo da aula, do que usar seu tempo livro para tentar aprender sozinho. O tempo que você passa na aula tem um propósito, não use para outras coisas, pois isso exigirá mais tempo de você depois.
  4. Não tenha vergonha de pedir ajuda: Ter receio do que os outros vão pensar é coisa antiga. Exponha suas dúvidas sem medo. O professor está na sala para te ajudar e, com certeza, tirará suas dúvidas. Lembre-se que permanecer na dúvida pode te deixar na mão na hora da avaliação ou então pedir mais tempo estudando em casa. Não vale a pena o risco, não é mesmo? Então pergunte sem medo a partir de agora!
  5. Seja realista: Se você estipular metas que não poderá cumprir, irá se atrapalhar e consequentemente se frustrar. Então respeite seu tempo e tenha objetivos que você realmente é capaz de cumprir.

Fonte: s-media-cache-ak0.pinimg.com/564x/86/3a/3e/863a3ea6fbbe438c3361f7a6adb13a08.jpg

Descubra qual seu perfil de pai em relação aos estudos dos filhos

Recentemente um comercial realizou um experimento com pais de alunos e mostrou os resultados do acompanhamento da família nos estudos de crianças e adolescentes. Enquanto os alunos do 4º ano realizavam uma prova, os pais estavam em outra sala e foram comunicados que realizariam a mesma prova. O vídeo mostra a reação de preocupação de alguns pais por não terem contato com os conteúdos há muito tempo.

O resultado: entre as melhores notas estavam os pais que revelaram estudar junto com as crianças. Isso não está relacionado com o nível de conhecimento dos pais, mas sim com o acompanhamento e atenção que dedicam aos estudos dos filhos.

A experiência traz à tona uma reflexão importante e sempre comentada no ambiente educacional: a importância da presença dos pais na vida escolar das crianças e adolescentes. Não se trata dos estudantes terem uma espécie de aula reforço com os pais, mas sim receberem acompanhamento, motivação e algumas cobranças necessárias.

Os estudos não se limitam as quatro paredes da sala de aula. Os alunos devem aproveitar ao máximo o período que passam na escola, mas o tempo de aprendizado se estende até em casa com revisões, pesquisas, lição de casa, preparo para provas, etc. Nesse processo, o incentivo e apoio dos pais é uma peça fundamental. Afinal, são eles que sempre estão em contato com os filhos e possuem um grande poder de influência para mostrar a importância da educação e o valor da escola para a vida deles.

Uma pesquisa identificou cinco perfis de pais brasileiros em relação a educação das crianças. A pesquisa entrevistou 2.002 responsáveis por alunos entre 4 e 17 anos, das redes públicas e privada de ensino.

Comprometidos: São os que mais se destacam na valorização escolar e no vínculo com a criança. Por exemplo, é o perfil que participa das reuniões e dos eventos escolares com maior assiduidade. Eles buscam informações sobre a escola, estabelecem parceria com outros pais e professores e apoiam os filhos na rotina.

Envolvidos: Os que praticam mais ações de valorização do que de vínculo e, portanto, destacam-se por acompanhar a rotina escolar do filho. Ao mesmo tempo, apresentam um ambiente familiar menos propício ao diálogo e um relacionamento menos próximo com a criança. Entre eles, 87% acreditam que, se a criança estudar, terá uma vida melhor que a dele e 79% conferem se o filho estudou para as provas.

Intermediários: São aqueles que obtiveram uma média de respostas, tanto em relação ao vínculo quanto à valorização. Os dados revelam que 70% conferem se o filho faz as lições de casa e 67% olham os cadernos, livros e apostilas.

Vinculados: Exibem um comportamento mais ligado ao vínculo com a criança do que com a valorização da Educação. São responsáveis que dialogam frequentemente com os filhos, mas não acompanham tão incisivamente a rotina escolar. Os dados mostram que 95% dos vinculados afirmam estar presentes nos momentos mais importantes da vida da criança.

Distantes: São os que apresentam o conjunto de respostas com grau mais baixo de vínculo e valorização. Esses entrevistados não se relacionam com outros pais e com a escola e dialogam pouco com as crianças e jovens. É o grupo que tem menor assiduidade nas reuniões e eventos escolares.

Fonte da pesquisa:

www.todospelaeducacao.org.br/reportagens-tpe/31839/pesquisa-revela-perfis-de-pais-em-relacao-a-educacao-dos-filhos