6 atividades extraclasse benéficas para os seus filhos

As atividades extraclasse são uma ótima maneira de levar o aprendizado para além da sala de aula, dando a oportunidade para os seus filhos interagirem com outras crianças e também praticarem algo novo. Veja abaixo algumas atividades e os benefícios que seu filho poderá obter com cada uma delas:

Natação

Ótima atividade esportiva é a Natação

A natação é uma das atividades mais procuradas pelos pais na hora de colocar seus filhos em uma atividade extraclasse. Além da vantagem de poder ser iniciada bem cedo, esse exercício promove o desenvolvimento motor, cognitivo e social das crianças. A natação também é responsável pelo aumento do apetite e da resistência cardiorrespiratória e muscular de seus praticantes.

Teatro

Preparação cultural para os alunos

As aulas de teatro são muito positivas para praticantes de qualquer idade e independem de a criança ser tímida ou extrovertida. Isso porque o teatro permite justamente que a criança desenvolva a imaginação e a sua capacidade de se expressar verbal e corporalmente. O teatro também auxilia no aprendizado de matérias escolares, pois estimula a concentração e a memória. Por fim, quem faz teatro pode apresentar melhora na autoestima e geralmente desenvolve maior interesse pela literatura.

Yoga

Yoga é bom para a mente e para o corpo

A yoga não é apenas uma atividade de adulto: as crianças que a praticam também sentem os mesmos benefícios, como a redução do estresse e a melhora da memória, por exemplo. Além disso, a prática estimula a concentração, diminui a ansiedade, reduz a insônia e as dores corporais crônicas, aumenta a força muscular e melhora o sistema imunológico.

Música

Música na vida do aluno pode ser muito relaxante e tirar a tensão do dia a dia

A música traduz pensamentos, emoções e sensações em sons. Com isso, ela propicia o desenvolvimento da criatividade e da coordenação motora e também cognitiva de seu filho. Praticar regularmente resulta na melhora da fala e auxilia no processo de alfabetização. E, ainda que iniciada por crianças já mais velhas, o aprendizado de algum instrumento musical ou a participação em aulas de canto melhoram o desempenho na escola, reduzem a ansiedade e contribuem para o melhor comportamento dos alunos.

Aula de idiomas

Em um mundo globalizado, saber mais de um idioma faz a diferença na vida profissional

A aprendizagem de uma nova língua ajuda a fortalecer a memória, melhora as habilidades multitarefas e aumenta a capacidade de foco. Além desses benefícios, aprender inglês ou espanhol, por exemplo, permite um melhor desempenho nos vestibulares, já que algumas provas contam com interpretação e leitura em línguas estrangeiras.

Judô

O esporte traz disciplina, espírito de disputa e respeito para o aprendizado.

A luta gera a estimulação psicomotora, ensina sobre paciência e, assim, melhora o comportamento das crianças. O judô, por exemplo, também desenvolve o equilíbrio, a agilidade, a coordenação, a humildade, o respeito e a solidariedade.

Fonte: Sistema COC de Ensino – By Pearson

Segunda fase da Fuvest terá apenas dois dias de prova.

 

O vestibular Fuvest vai mudar. Na última quinta-feira, 17 de maio, o Conselho de Graduação (CoG) da USP aprovou importantes alterações no processo seletivo para ingresso na Universidade. A principal é a diminuição de três para dois os dias de provas da segunda fase.

A Fuvest divide o vestibular em duas fases. Na primeira, todos os candidatos são submetidos a uma prova de conhecimentos gerais, com 90 testes, que incluem as disciplinas obrigatórias do ensino médio (biologia, física, geografia, história,
inglês, matemática, português e química).

Até o processo de seleção 2018, a segunda fase era composta de três provas discursivas realizadas em três dias seguidos. No primeiro dia, dez questões de português e uma redação; no segundo dia, 16 questões sobre disciplinas obrigatórias do ensino médio e, no terceiro dia, 12 questões de disciplinas relacionadas à carreira escolhida pelo candidato.

A partir do vestibular Fuvest 2019, todos os candidatos farão somente duas provas na segunda fase: a de português e redação, que permanece igual aos vestibulares anteriores, e a de disciplinas específicas, ou seja, aquelas exigidas pela carreira escolhida. Nessa prova específica, a quantidade de disciplinas requerida passou de duas a três para duas a quatro, a critério de cada unidade da USP.

“A USP adotou essa mudança pensando no estudante. O processo seletivo para entrar em uma universidade pública é desgastante. Ao invés dele ficar 72 horas sob o estresse de provas, agora serão dois dias”, disse o pró-reitor de Graduação Edmund Chada Baracat.

Ele ressaltou que a retirada de um dia de prova não afetará o poder discriminatório da segunda fase do vestibular. “Nossos estudos demonstraram que não haverá comprometimento na seleção dos estudantes com a retirada do segundo dia. Do ponto de vista do aluno, ele ganha mais tempo para estudar e focar melhor seus estudos nas disciplinas exigidas pela carreira.”

Inscrição por modalidade

Outra importante modificação no vestibular Fuvest está na inscrição dos candidatos. No ano passado, a USP adotou um sistema de reserva de vagas para os estudantes oriundos de escolas públicas e alunos de escola pública autodeclarados Pretos, Pardos e Indígenas (PPIs).

Para a aplicação dessa resolução, a Fuvest adotará inscrições por modalidades de vagas já a partir da primeira fase do vestibular. Ao escolher sua carreira e seu curso, o vestibulando terá três opções: Ampla Concorrência (AC), Ação Afirmativa Escola Pública (EP) e Ação Afirmativa Preto, Pardo e Indígena (PPI).

AC: vagas para todos os candidatos sem exigência de nenhum pré-requisito.
EP: vagas destinadas aos candidatos que, independentemente da renda, tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas.
PPI: vagas destinadas aos candidatos e autodeclarados pretos, pardos e indígenas que, independentemente da renda, tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas.

Além do vestibular Fuvest, a USP possui outra forma de ingresso: o Sistema de Seleção Unificada (Sisu), gerenciado pelo Ministério da Educação. As modalidades de vagas oferecidas pela Universidade via vestibular Fuvest e Sisu passam a ser compatíveis.

Para o ingresso em 2019, de acordo com as diretrizes estabelecidas pelo governo do Estado de São Paulo, a USP reservará 40% de suas vagas, por curso, para estudantes de escola pública, considerando Fuvest e Sisu. Dentro dessa porcentagem, ainda incidem 37,5% de reserva de vagas para PPIs.

Com a institucionalização da reserva de vagas no vestibular Fuvest, a concessão de bônus deixa de existir. O programa de bonificação na nota do concurso vestibular Fuvest foi criado em 2006 para estimular o ingresso nos cursos da Universidade de estudantes egressos da escola pública.

Reescolha

O vestibular Fuvest não adotará mais o Processo de Reescolha. Esse processo era oferecido aos candidatos não matriculados e que não tivessem sido eliminados após a sexta chamada, com interesse em cursos com vagas ainda não preenchidas.

Em 2019, o número de chamadas de aprovados passará de seis para cinco. De acordo com o pró-reitor de Graduação, isso foi decidido porque mais vestibulandos serão convocados para a segunda fase. “Em cada carreira, serão chamados quatro vezes mais candidatos que o número de vagas da carreira. Antes, o máximo era até três vezes. O impacto disso será a convocação de mais 11 mil estudantes para a segunda fase”, disse Baracat.

Caso haja vagas não preenchidas, elas estarão disponíveis nos processos de transferência interna (para os próprios alunos da USP) e externa (estudantes de outras universidades).

O que não muda para o vestibular Fuvest 2019 é o valor da taxa de inscrição. Ela permanece em R$ 170.

Fonte: Jornal da USP