Enem não será aceito para ingresso na Unicamp em 2021

Enem não será aceito para ingresso na Unicamp em 2021

Devido à incompatibilidade de calendários, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), neste ano, não será aceito para ingresso na Unicamp. As 639 vagas oferecidas pelo edital Enem-Unicamp, cerca de 20% das vagas totais de ingresso, serão ofertadas no vestibular tradicional, incluindo as vagas oferecidas para alunos de escolas pública e autodeclarados pretos e pardos. Os percentuais de vagas para ações afirmativas e para candidatos oriundos de escola pública estão mantidos. O anúncio foi realizado em coletiva de imprensa nesta quarta-feira (22) pelo diretor da Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp (Comvest), José Alves Neto.

“As vagas que antes eram do Enem serão automaticamente transferidas para o Vestibular. Sobretudo por conta do calendário, ficou inviável a manutenção das vagas pelo Enem”, explica. De acordo com o cronograma do Enem, os resultados das provas seriam disponibilizados a partir de 29 de março. Já o calendário da Unicamp prevê o retorno às aulas no dia 15 de março.

Segundo José Alves, se houvesse a chamada dos candidatos do Enem, eles entrariam somente após os primeiros dias de abril, com cerca de três semanas de atraso em relação aos demais candidatos, o que traria um prejuízo tanto para o entrosamento como para o rendimento dos estudantes.

O ingresso via Vestibular Indígena e via Vagas Olímpicas está mantido.

Clique e veja a notícia na íntegra.

Fonte: UNICAMP

Como criar um ambiente de estudos adequado em casa

Como criar um ambiente de estudos adequado em casa

Ter um espaço exclusivo para estudar em casa é o ideal para as crianças e os adolescentes melhorarem o rendimento escolar e otimizarem o tempo das suas atividades. Além disso, os estudantes conseguem se concentrar melhor, já que um local organizado evita as dispersões. Por isso, quer algumas dicas para criar um bom ambiente de estudos em casa? Encontre um espacinho em seu lar e confira o post que fizemos!

Tenha uma mesa

A primeira dica é disponibilizar para o seu filho uma mesa ou escrivaninha para estudar. Nela, organizem juntos o material de estudos, como cadernos, bloquinhos, lápis, canetas e livros. Dessa forma, você evita que seu filho sente-se no sofá ou na cama e que tenha preguiça de ler as matérias ou de fazer os resumos. É importante que a mesa seja confortável para o apoio dos braços e que tenha uma cadeira com encosto, evitando desconforto e má postura. 

Mantenha tudo limpo e organizado

Claro que o seu filho pode deixar esse espaço com a cara dele! O mais importante é deixar tudo sempre organizado e limpo. Assim, o ambiente ficará agradável e será mais fácil encontrar as coisas das quais ele precisa no momento de estudar. O local tem que chamar a atenção e dar aquela vontade de ficar por lá!

Outra dica de organização: se você notar que há itens que não são usados e que só atrapalham, tire-os de perto! É o caso de aparelhos eletrônicos que não têm utilidade durante os estudos e até mesmo de objetos que pareciam ser úteis, mas que estão lá apenas ocupando espaço.

Por fim, utilize uma pasta para guardar todos os papéis e anotações, sem deixá-los espalhados pela mesa. As pastas do tipo “sanfona” são ótimas para separar materiais, como resumos e exercícios.

Tenha um calendário por perto

Ter um calendário à vista é essencial para manter os estudos em dia. Por isso, adquira ou monte um bem legal com seu filho, utilizando cores, formas interessantes e letras grandes. Em seguida, coloque-o no ambiente de estudos; assim, ele chamará a atenção do estudante para o que deve ser feito no dia e durante a semana. Ah, lembre-se de que o planejamento deve ser realista, considerando o que realmente dá para fazer no tempo estipulado!

Garanta uma boa iluminação

O local de estudos deve ter uma boa iluminação, pois dessa forma evita-se cansaço e dores de cabeça. O ideal é que haja luz natural ou, se o lugar for utilizado no período da noite, uma luminária com luz agradável, próxima aos livros e cadernos. Assim, o ambiente será agradável, levando a um melhor rendimento de quem o usa!

Lembre seu filho que também é importante fazer intervalos para se alongar, comer, ir ao banheiro… Se preferir, ele pode até colocar uma música de fundo. Afinal, estudar é ótimo, ainda mais se o ambiente for confortável e gostoso!

Gostou dessas dicas para criar um bom ambiente de estudos para seu filho ou filha? Continue ligado no blog do COC para ler mais posts como esse.

Fonte: Sistema COC- Pearson

Dia do Fico: entenda essa data!

Dia do Fico: entenda essa data!

Um dos eventos que ajudou o Brasil a se tornar independente de Portugal foi o “Dia do Fico”, que aconteceu no dia 9 de janeiro de 1822. Nesse episódio, o Príncipe Regente, Dom Pedro I, resolveu permanecer no Brasil e ignorar as ordens vindas da Corte Portuguesa para que ele voltasse ao seu país de origem. Para você entender melhor o que aconteceu nessa época, fizemos este texto. Acompanhe!=

Contextualização

Com a ascensão de Napoleão Bonaparte na França, muitas nações foram invadidas e ameaçadas, incluindo Portugal. Naquele momento, a corte portuguesa tinha ótimas relações diplomáticas com a Inglaterra, inimiga dos franceses. Em 1806, Napoleão decretou que os países europeus fechassem os portos para os navios britânicos. O Rei de Portugal, Dom João VI, ignorou o decreto e permitiu que os navios britânicos atracassem nos portos lusitanos. Essa atitude revoltou Napoleão, que ordenou que invadissem o país.

Para proteger sua família, Dom João VI, com sua comitiva, mudou-se para o Brasil e transferiu a sede da monarquia para a colônia no Novo Mundo. Essa mudança mudou o patamar do Brasil, que passou a ser chamado de Reino Unido e ganhou liberdades comerciais com outros países, além de Portugal.

Após a derrota de Napoleão, porém, o povo português começou a se rebelar e exigir a volta da família real para o país, o que fez o Rei Dom João VI voltar para Portugal em 1821. Além disso, o povo exigia que o Brasil voltasse a ser apenas uma colônia e perdesse seus direitos comerciais, fato que gerou enorme preocupação na elite agrária brasileira, que já fazia negócios com outros países.

O último ato de Dom João VI no Brasil, antes de retornar para Portugal, foi deixar seu filho, Dom Pedro, na função de Príncipe Regente, o que mantinha o Brasil na categoria de Reino Unido e aliviava a sua pressão perante o povo português.

O Dia do Fico

Com a responsabilidade deixada por seu pai, Dom Pedro começou a se relacionar com os grandes produtores rurais brasileiros e considerar a ideia de tornar o Brasil um país independente.

Porém, em Portugal o povo continuava insatisfeito com a não recolocação do Brasil ao posto de colônia, e exigia o retorno de Dom Pedro para a corte portuguesa. Essa notícia chocou a elite agrária brasileira, que se viu a um passo de perder grandes negócios com países parceiros. 

Para convencer o Príncipe Regente a ficar no Brasil, foram reunidas mais de 8 mil assinaturas que pediam a permanência dele no país. Foi então que, no dia 9 de janeiro de 1822, Dom Pedro decide ficar em terras brasileiras e não cumprir a ordem vinda de Portugal. Em seu discurso, ficou famoso o trecho em que diz: “Se é para o bem de todos e a felicidade geral da Nação, digam ao povo que fico”. Por isso, o episódio é conhecido como Dia do Fico.

Consequências

Portugal não admitiu a rebeldia de Dom Pedro e mandou tropas oficiais para o Brasil, na tentativa de retirar os poderes dados ao país na condição de Reino Unido. O Príncipe Regente, no entanto, ordenou a retirada dos militares e o retorno deles para Portugal, declarando que as tropas portuguesas eram agora consideradas inimigas do Brasil.

Esse evento ajudou no processo de independência do Brasil, ocorrido no dia 7 de setembro de 1822, acabando com a condição de colônia de Portugal. 

Como vimos, a atitude de Dom Pedro de permanecer no Brasil foi muito contestada pelos portugueses, mas fundamental para que o Brasil se tornasse uma nação independente. Em nosso blog temos outros textos sobre a história do Brasil. Que tal você conferir?

Fonte: Sistema COC – Pearson

Como estimular o aprendizado durante as férias

Como estimular o aprendizado durante as férias

Estimular aprendizado nas férias

As férias escolares estão chegando e, por vezes, os pais ficam preocupados com essa pausa no processo de aprendizagem dos filhos. Durante o período, porém, as crianças podem ser estimuladas a desenvolver outras habilidades, tão importantes quanto o que é ensinado em sala de aula! Vamos listar aqui algumas maneiras de instigar as crianças e adolescentes a continuar aprendendo nas férias. Confira!

Estimule a leitura

A leitura é extremamente importante para desenvolver o lado lúdico e criativo dos jovens. Por isso, incentive seus filhos a criar o hábito de ler livros sempre que possível! Essa prática ajuda também a aumentar o vocabulário e melhorar as habilidades de escrita e a capacidade de interpretar textos. Portanto, leve seus filhos a livrarias e bibliotecas, e permita que escolham obras que sejam do gosto deles. Assim, essa leitura se tornará ainda mais prazerosa e proveitosa!

Diga sim às brincadeiras ao ar livre

Pense em brincadeiras ao ar livre que possam ser educativas e instrutivas para as crianças. É muito importante e bastante indicado incentivá-las a fazer atividades externas! Elabore brincadeiras que permitam que elas corram, gastem energia e estimulem o raciocínio e as habilidades motoras. No caso dos mais velhos, incentive a prática esportiva e aproveite o tempo livre para apresentar diferentes esportes a eles!

Use a tecnologia a favor da educação

Embora o tempo de uso da tecnologia deva ser sempre controlado de acordo com a idade da criança ou do adolescente, os pais podem usar os aparelhos eletrônicos a favor do aprendizado dos filhos. Então, pesquise aplicativos e plataformas que permitam que o jovem desenvolva suas habilidades cognitivas.

Leve seus filhos a museus e exposições

Os passeios em família também podem incentivar as crianças e os adolescentes a continuar aprendendo, mesmo durante as férias. Programe visitas a museus e exposições, por exemplo, já que esses ambientes são cheios de informação e conhecimento. Além disso, esses passeios rendem boas memórias e proporcionam ótimos momentos entre pais e filhos!

E os pais que estão trabalhando?

Não são todos os pais que conseguem tirar férias na mesma época em que os filhos, por isso é preciso pensar em alternativas para esses casos. Uma dica é manter em casa alguns materiais de fácil manuseio com os quais crianças e adolescentes possam pintar um quadro ou esculpir algo, por exemplo. Esse tipo de atividade estimula o lado criativo dos jovens e pode até revelar talentos!

Outra ideia é manter contato com os colegas de sala dos filhos. Promova encontros entre eles e deixe-os brincar e se divertirem. Esse contato mantém os laços de amizade fortes para o próximo ano letivo!

Durante as férias, os pais precisam ter bastante criatividade! Contudo, é possível estimular as crianças e adolescentes a aproveitar o tempo livre das férias para explorar suas habilidades. Além disso, incentivar o aprendizado evitará que se sintam desanimados na hora de voltar às aulas!

Projeto Abraço Amigo – 2ª parte

Projeto Abraço Amigo – 2ª parte

Na 2ª parte do projeto “Abraço Amigo”, os alunos visitaram o Asilo Otoniel. Os visitantes e os moradores do local ficaram animadíssimos, aproveitaram para conversar e foi uma linda experiência para ambos.